Tinhela de Baixo - Norte / Barragem da Ferraria
CNS: 17884
Tipo: Barragem
Distrito/Concelho/Freguesia: Vila Real/Vila Pouca de Aguiar/Bornes de Aguiar
Período: Romano
Descrição: A exploração romana de ouro de Trêsminas, pela sua enorme dimensão, necessitou igualmente de grandes e regulares abastecimentos de água, razão pela qual se constituiu um sistema de armazenamento e distribuição de água, a partir do rio Tinhela, formado pelas barragens da Ferraria e Vale das Veias, e pela conduta de Pedroso. A barragem de Tinhela de Baixo - Norte, também conhecida como Ferraria é a primeira e mais pequena do conjunto das duas. Situa-se numa zona relativamente encaixada do rio Tinhela, em que a margem esquerda é abruptamente escarpada, não restando aí vestígios da barragem. A margem direita é menos inclinada e menos pedregosa, sendo bem óbvios os vestígios do paredão. A barragem é um paredão de terra e pedras, que terá cerca de 20 metros de espessura, 50 metros de comprimento, e manterá uma altura máxima acima do solo ainda de uns 10/15 metros. Desce a encosta em linha recta, encontrando-se cortada junto ao rio, certamente pela erosão causada pelas cheias deste. Cerca de um km a jusante situa-se a segunda barragem do sistema, a barragem de Tinhela de Baixo - Sul, conhecida também como Vale das Veias.
Meio: Terrestre
Acesso: Situa-se a Leste da aldeia de Tinhela de Baixo, do lado direito da estrada que liga Tinhela de Baixo a Tinhela de Cima, no sopé Sul do monte onde se encontra a mamoa do Alto do Cavalhão. A estrada cortou o remate final do paredão da barragem, sendo este corte bem perceptível
Espólio: -
Depositários: -
Classificação: ZEP - Zona Especial de Protecção
Conservação: Regular
Processos: C - 17884
Trabalhos (1)
Bibliografia (0)

Fotografias (0)