Vilar
CNS: 19009
Tipo: Necrópole
Distrito/Concelho/Freguesia: Bragança/Vinhais/Soeira, Fresulfe e Mofreita
Período: Romano e Indeterminado
Descrição: A oeste da aldeia de Soeira eleva-se um suave e quase camuflado lombeiro que a população denomina de Vilar. O sítio é frequentemente associado na bibliografia ao local onde terá existido as ruínas de uma capela de devoção a S. Sebastião, embora actualmente não se reconheça qualquer estrutura ou derrube que possa ser associado a um antigo templo. Entre a população desta pequena aldeia, o topónimo S. Sebastião apenas é associado a um templo que se ergue num bairro localizado a nordeste da localidade, nada tendo a ver com este sítio, apesar de se poder tratar de uma deslocação do topónimo. Relativamente a Vilar, recolheram-se alguns depoimentos orais relacionados com o aparecimento de algumas sepulturas estruturadas com lajes de xisto e de alguns vestígios osteológicos. Em 1900 foi aqui achado por Celestino Beça um miliário reaproveitado como sarcófago, encontrando-se este actualmente no depósito do Museu Abade de Baçal em Bragança. Algumas referências bibliográficas aludem a uma inscrição contida neste marco miliário e interpretada do seguinte modo: TRIB (unicia). POT(estate). XXI. Baseados nesta inscrição alguns autores atribuíem o marco miliário da Soeira à época de Augusto.
Meio: Terrestre
Acesso: Por caminho de terra batida que parte do extremo Oeste da aldeia da Soira, cerca de 250 metros do núcleo habitado.
Espólio: -
Depositários: Museu Municipal de Bragança - Abade Baçal
Classificação: -
Conservação: Mau
Processos: -
Trabalhos (1)
Bibliografia (9)

Fotografias (0)