Tapada de Santa Maria
CNS: 25122
Tipo: Vicus
Distrito/Concelho/Freguesia: Guarda/Sabugal/Santo Estêvão e Moita
Período: Romano
Descrição: Encosta meridional da serra dos Mosteiros, em terrenos de cariz xistoso, com alguns afloramentos à superfície. Terrenos cultivados e plantados com olival, situados a nordeste do actual aglomerado. Foram identificados alguns fragmentos de cerâmica de construção (tegulae e imbrices), cerâmica comum doméstica, terra sigillata, dolia, opus signinum e mós circulares numa área de aproximadamente 28.750m². Nos terrenos da estação arqueológica existiu uma capela dedicada a Santa Maria, da qual restam apenas os microtopónimos Chão do Adro e Tapada de Santa Maria. No século XVI ainda se encontrava de pé, estando as três inscrições reutilizadas na sua construção. Na fotointerpretação do sítio detectou-se um alinhamento oval, com 85X105m (8.925m²), delimitando a área de concentração máxima de materiais, que coincide, no terreno, com alguns muros de suporte de terras.
Meio: Terrestre
Acesso: O acesso é feito a partir da povoação, por um arruamento que conduz à serra dos Mosteiros.
Espólio: Cerâmica de construção (tegulae e imbrices), cerâmica comum doméstica, terra sigillata, dolia, opus signinum, mós circulares e três inscrições.
Depositários: -
Classificação: -
Conservação: -
Processos: -
Trabalhos (0)
Bibliografia (1)

Fotografias (0)