Alfaiates
CNS: 25249
Tipo: Povoado
Distrito/Concelho/Freguesia: Guarda/Sabugal/Alfaiates
Período: Idade do Ferro e Romano
Descrição: Os vestígios identificados permitem definir uma eventual mancha de ocupação da estação arqueológica proto-histórica concentrada por uma cumeada topográfica, com 825 a 833 metros, onde posteriormente foi construído o castelo. O local situa-se na parte meridional de um esporão topográfico proeminente sobre os terrenos de aluvião da ribeira de Alfaiates, e em terrenos de cariz xistoso. Do topo desta formação obtém-se um formidável controlo da paisagem envolvente. Acampamento romano ou aglomerado urbano indeterminado. A área arqueológica encontra-se atualmente sob a malha urbana. Conjunto de materiais avulsos reutilizados nos edifícios do aglomerado, observados nas parcelas cultivadas e referidos na bibliografia: escassa cerâmica de construção (tegulae e imbrices), mós circulares, moedas (uma de Sertório?), pedra almofadada e uma inscrição honorífica. Também se identificaram algumas estruturas de combustão associadas, que provaram essa presença humana, durante o I milénio a.C.Fontes do século XVII referem a existência de umas "cavas" (muralhas de terra batida), na povoação, associadas ao achado de cerâmicas, mós e moedas, parecendo referir-se a um acampamento militar republicano. Esta informação é concordante com a interpretação dada à inscrição aí encontrada, como sendo um marco territorial militar. Em defesa desta hipótese foi identificado um alinhamento circular na fotointerpretação da malha urbana de Alfaiates, no ponto mais elevado do aglomerado, com 8.925m², de natureza ainda desconhecida, mas semelhante ao da Tapada de Santa Maria (Santo Estêvão).
Meio: Terrestre
Acesso: O acesso é facilitado pela EN 233-3.
Espólio: Cerâmica de construção (tegulae e imbrices), mós circulares, moedas (uma de Sertório?), pedra almofadada, uma inscrição honorífica, abundantes fragmentos de cerâmica manual e a torno.Os fragmentos cerâmicos de fabrico manual inventariados apresentam quase sempre pastas grosseiras e compactas, de pastas tendencialmente acastanhadas ou laranja-avermelhadas, predominando no entanto as cozeduras redutoras. Alguns revelam pormenores morfológicos com destaque para os bordos rectos ou ligeiramente esvasados nas peças manuais ou os bordos em aba nas peças a torno; os fundos ora são planos ou côncavos/arqueados. Destaca-se também a singularidade de um único exemplar recolhido de uma asa de fita.Deste lote de materiais incluem-se ainda 5 fíbulas e mais um fuzilhão de outra provável fíbula; 4 fragmentos metálico de bronze de pequeno tamanho e de natureza indeterminada; e duas mós manuais, circulares e dormentes, de granito grosseiro. Foi identificada e não retirada do local, uma grande mó de vaiv
Depositários: -
Classificação: -
Conservação: -
Processos: -
Trabalhos (1)
Bibliografia (7)

Fotografias (0)