Ansião - Cisterna
CNS: 2981
Tipo: Villa
Distrito/Concelho/Freguesia: Leiria/Ansião/Santiago da Guarda
Período: Romano
Descrição: O sítio está implantado a meio de uma encosta de pendor suave, orientada segundo um eixo Noroeste/Sudeste, a este da qual, se localiza a Várzea da Granja. O interesse arqueológico deste sítio deve-se em grande parte à galeria subterrânea que ali existe, e que tem sido interpretada como criptopórtico. Foi prospetada uma área com 35.400m², que se encontra enquadrada a Este pelo casario do lugar do Carvalhal e a Sul por um caminho que dá acesso a uma nascente, que localmente é conhecida pelo Poço do Carvalhal. O local, revelou uma grande dispersão de material ceramológico de cobertura do Período Romano e de uso doméstico. Recolheu-se também um fragmento de later, um machado de pedra polida fragmentado e alguns fragmentos de escória. Foi possível ainda identificar na base de um talude, orientado segundo o eixo Este/Oeste, os vestígios de uma provável canalização revestida por opus signinum, com uma altura de 0.35m e uma largura de 0.18m (eixo Este/Oeste). Esta estrutura encontra-se acerca de 25 m e a SE de um espaço abobadado, que se pensa ser um criptopórtico, do qual, se localizou a entrada que se encontra mencionada na obra de José Eduardo dos Reis Coutinho. Apesar do interior apresentar-se entulhado de terra, foi possível identificar a configuração abobadada da estrutura, formada por pedra aparelhada, em calcário e revestida a argamassa. Em 1978 um grupo de estudantes, coordenados por este autor, teve conhecimento da existência de um subterrâneo. Deslocando-se ao local, puderam constatar a existência de um túmulo com as galerias entulhadas. Uma visita ao sítio por Jorge Alarcão, veio realmente confirmar tratar-se de um criptopórtico. A relativa proximidade entre este sítio e a villa romana de Santiago da Guarda, tem motivado alguns estudiosos a considerarem estas estruturas, como podendo pertencer àquela, cuja pars urbana, serviu de fundação ao Paço Senhorial dos Condes de Castelo Melhor. Por outro lado, o facto destes dois sítios dominarem uma várzea fértil, com mais de 450 hectares), sugere a existência de uma outra villa, que partilharia com a de Santiago da Guarda a mesma planície fértil, cabendo a cada uma cerca de 200 hectares.
Meio: Terrestre
Acesso: Estrada Municipal n.º 348 até à Venda do Brasil; Estrada Municipal 526 em direcção a Santiago da Guarda, daqui caminho em direcção ao lugar do Carvalhal. Dentro da povoação caminho de pé-posto à direita.
Espólio: Fragmentos de natureza ceramológica do período romano (cerâmica de construção e cerâmica doméstica comum), alguns fragmentos de cerâmica vidrada, de natureza metálica, de natureza osteológica. Opus signinum.
Depositários: -
Classificação: -
Conservação: -
Processos: S - 02981, 2000/1(818) e 2010/1(531)
Trabalhos (4)
Bibliografia (5)

Fotografias (0)