Castro de Ul
CNS: 4655
Tipo de Trabalho: Conservação e Restauro
Ano do Trabalho: 2012
Projeto: PNTA/2011 - Proto-História da Bacia do Antuã
Estado: Relatório Aprovado
Data de Início: 27/11/2012
Data de Fim: 07/12/2012
Objetivos: Integrado no âmbito do projecto PROBA, que visa reunir novos elementos para a compreensão da diacronia da ocupação humana na Proto-história, num trecho da bacia hidrográfica do Antuã, inserido num espaço regional mais amplo que é o do Entre Douro e Vouga, nomeadamente analisando as continuidades e/ou rupturas observáveis na transição entre a Idade do Bronze e do Ferro, à escala local e regional, no que se refere às estratégias de ocupação e exploração do território, ¿cultura material¿ e percepção simbólica da paisagem, o objectivo primordial deste trabalho consistia na realização de trabalhos de prospecção geofísica e geoquímica no topo do cabeço, que permitissem um melhor conhecimento do potencial arqueológico do sítio, bem como no corte de vegetação e limpeza das sondagens abertas durante a intervenção dirigida por Maia Marques.
Resultados: Tendo em conta o objectivo de efectuar prospecções geofísicas, a intervenção procurou alargar a área alvo das acções de remoção da vegetação. Deste modo, enquanto no ano de 2011 foi cortada a vegetação existente nos caminhos de acesso às áreas onde se localizavam as sondagens, desta feita foi possível proceder ao seu corte na quase totalidade do topo cabeço. Esta situação permitiu-nos ter uma melhor percepção dos locais onde se poderiam desenvolver as prospecções. No entanto, por dificuldades logísticas, não foi possível efectuar os trabalhos no âmbito da geofísica e da geoquímica. Deste modo, procedeu-se, apenas à limpeza das sondagens, removendo os restos vegetais e de terras que ali se depositaram ao longo do último ano. As estruturas do sector B não apresentam sinais de degradação mais acentuados do que em 2011. Em contrapartida, as do sector A, nomeadamente o muro da estrutura 1, parecem mais frágeis, havendo neste caso específico alguns blocos que se encontram soltos. Pretende-se, em 2013, concretizar a prospecção geofísica e geoquímica que não foi possível levar a cabo em 2012 e, conjugando novas acções de limpeza com pequenos trabalhos de conservação das estruturas arqueológicas.
Responsável: João Tiago Rodrigues de Almeida Tavares
Co-Responsáveis: -
Pessoas (relação): -