PNTA/2003 - Terras Quentes: evolução crono-cultural do Concelho de Macedo de Cavaleiros

Projeto arqueológico
  • Designação

    Categoria A - ações de investigação

  • Ano do Início/Conclusão

    2003/2006

  • Estado

    Aprovado

  • Objetivos

    O projecto visa observar a evolução crono-cultural e dinâmica regional do concelho de Macedo de Cavaleiro, entendendo o espaço geográfico de intervenção como uma entidade arqueológica globalizante, portadora de gestos modeladores, estratégias de ocupação/apropriação de espaço, organização social, subsistência e conceptualização. Um dos objectivos pretende a elaboração de modelos de utilização dos ecossistemas, que retratem a totalidade das actividades sociais humanas e respectivos padrões de ocupação. Dentro da vigência do projecto, prevêem-se intervenções arqueológicas em Forno de Salselas, Cabeço da Anta, Mamoa de Santo Âmbrósio, atalaia de N. Sr.ª do Monte, Terronha do Pinhovelo, Bovinho e Sobreirinho e ainda acções de valorização patrimonial nos arqueosítios Forno de Salselas, Cabeço da Anta e Mamoa de Santo Âmbrósio. Pretende igualmente fazer o levantamento arqueológico do concelho de Macedo de Cavaleiros.

  • Resultados

    Os trabalhos de prospecção arqueológica, foram divididos por freguesias tendo sido formadas 6 equipas de campo e identificados mais de 80 sítios arqueológicos. Capela de Nossa Senhora do Campo - restos de um antigo lajeado. Não foram detectados outros vestígios dignos de interesse Na necrópole do Sobrerirnho, a escavação revelou a existência de 3 sepulturas formadas no fundo, paredes e cobertura com lajes de xisto e restos de vestígios osteológicos. A cronologia é medieval. A escavação no povoado do Bovinho detectou e confirmou a existência de um povoado mineiro de época romana, com estruturas amuralhadas. A intervenção no Forno de Salselas de tipologia romana, permitiu detectar cerâmica com uma tipologia que impossibilita o enquadramento numa cronologia específica. A escavação da mamoa de Santo Ambrósio permiiu definir melhor a área do monumento e identficar variado espólio. Terronha do Pinhovelo - detectaram-se estruturas de habitação de cronologia romana e uma estrutura de funcionalidade indeterminada da Idade do Ferro. A articulação dos diferentes sectores da jazida é difícil de determinar dado os diferentes níveis de alteração das realidades arqueológicas. Foi intervencionado ainda um sítio - Fraga dos Corvos (inicialmente não previsto) no qual foi possível identificar um habitat da idade do bronze com estruturas de cabana e recuperação de conjunto de bronzes.

  • Responsável

    Carlos Alberto Santos Mendes

  • Co-Responsáveis

    Ana Miriam Arranz Gonzalo, José Manuel Quintã Teixeira Ventura, João Carlos Freitas de Senna-Martinez e João Pedro Vicente Tereso

  • Pessoas (relação)

    Andreia Carvalho (Colaborador), André Fernando Vaz Donas Botto (Colaborador), Carla Sofia Martins Matias (Colaborador), Catarina Susana Antunes Alves (Colaborador), Clariana Marques (Colaborador), Cíntia Maurício da Costa e Silva (Colaborador), Fernando Rodrigues Madeira (Colaborador), Fátima Bento (Colaborador), Helena Isabel Pais Ribeiro de Alegria Barranhão (Colaborador), Hélder Alexandre Armário Santos Carvalho (Colaborador), Joana Margarida Resende Gomes (Colaborador), Liliana Gonçalves Pereira (Colaborador), Márcia Isabel Madeira Diogo (Colaborador), Nathalie Antunes Ferreira (Colaborador), Nídia Maria Catorze dos Santos (Colaborador), Olga Antunes (Colaborador) e Rui Tiago Ferreira de Castro Caetano (Colaborador)

Trabalhos (103)

Relatórios (-)