Villa Cardilio

Sítio (86)
  • Tipo

    Villa

  • Distrito/Concelho/Freguesia

    Santarém/Torres Novas/Torres Novas (Santa Maria, Salvador e Santiago)

  • Período

    Romano

  • Descrição

    As Ruinas Romanas de Villa Cardillio foram inicialmente identificadas em 1932 por Eugénio Jalhay, que as publica e divulga, em 1935, na Sessão de Pré-História da Associação de Arqueólogos Portugueses. Porém, os primeiros trabalhos arqueológicos surgem apenas em 1962, pela mão de Afonso do Paço que coloca a descoberto um conjunto de estruturas que consistiam num grande peristilo, com um átrio de 20 metros de comprimento por 3,60m de largura, coberto de mosaicos (Paço, 1963, 73-74). Afonso do Paço refere, ainda, a existência de outras estruturas como um quadrado, ao centro do átrio, com cerca de 13 metros, um poço, com cerca de 7 metros de profundidade, e várias de dependências pavimentadas a mosaicos e a opus signinum (Paço, 1963, 73-74). A sudoeste do peristilo foi, ainda, identificada uma zona termal, onde são visíveis os vestígios do frigidarium, do caldarium e respectivo hypocaustum e de uma piscina. Este conjunto de estruturas sobrepõe-se, em parte, a um anterior dispositivo do qual restam apenas 2 tanques. De todo o conjunto edificado desta villa, que terá sido ocupada entre os século I e o século IV, destacam-se os seis tapetes de mosaicos em opus-tessellatum, que ocupam, sensivelmente, uma área de 240m2, com motivos geométricos e figurativos e onde se destaca a inscrição VIVENTES / CARDILIUM / ETAVITAM / FELIXTURRE. Na envolvente foram, também, identificados 2 fornos (Quinta das Ferrarias - CNS24221 - e Quinta do Peru - CNS24222) que se pensam estarem relacionados com villa. Em 1967 as Ruinas Romanas de Villa Cardillio foram classificadas como Monumento Nacional pelo Decreto n.º 47508, DG, 1.ª série, n.º 20 de 24 Janeiro. [Actualizado/11/Ago/2020]

  • Meio

    Terrestre

  • Acesso

    localiza-se a 2 Km a Sul de Torres Novas.

  • Espólio

    Fragmentos de ânfora. Estátua de Eros adormecido - Museu Municipal Carlos Reis, Torres Novas (Gonçalves, 2007)

  • Depositários

    Câmara Municipal de Castelo de Paiva e Museu Municipal de Carlos Reis

  • Classificação

    Classificado como MN - Monumento Nacional

  • Conservação

    Mau

  • Processos

    S - 00086 e 2003/1(518)

Bibliografia (13)

Achados na vila romana de Cardilio (Torres Novas). Arquivo de Beja (1967)
Escultura romana em Portugal: uma arte do quotidiano (2007)
Las termas y balnea romanos de Lusitania (2004)
Memória breve sobre Villa Cardilio. Nova Augusta (1982)
Mosaicos Geométricos de Villa Cardílio. Revista de História da Arte (2008)
Mosaicos de Vila de Cardilio. Lucerna (1965)
Mosaicos romanos de la Vila Cardilio en Torres Novas Portugal. Archivo Español de Arqueologia (1964)
Nota acerca dos mosaicos romanos da villa de Cardilio. 8º Congreso Nacional de Arqueologia ,Sevilha- Málaga 1963 (1964)
O azeite da Bética na Lusitânia. Conimbriga (1995)
O domínio romano em Portugal. Forum da História (1989)
Os mosaicos de villa Cardilio. Tentativa de descrição. Nova Augusta (1994)
Sítios arqueológicos visitáveis em Portugal. Al-madan (2001)
Torres Novas-Villa Cardilio-1982. Informação Arqueológica (1985)

Fotografias (8)

Localização