Quinta de Marim 3

Sítio (583)
  • Tipo

    Villa

  • Distrito/Concelho/Freguesia

    Faro/Olhão/Quelfes

  • Período

    Romano

  • Descrição

    O sítio arqueológico da Quinta de Marim 3 localiza-se numa ampla herdade na margem direita da Ribeira do Marim, a cerca de 1 km do Parque Natural da Ria Formosa e da atual cidade de Olhão, sensivelmente a meio caminho das cidades romanas de Ossonoba (Faro) e Balsa (Luz de Tavira). Os primeiros trabalhos arqueológicos realizados na Quinta de Marim, da autoria de Estácio da Veiga (1877) e de Santos Rocha (1895), permitiram identificar várias estruturas pertencentes a uma villa romana com uma longa diacronia de ocupação, nomeadamente um edifício termal, áreas de armazenagem, um mausoléu monumental, um edifício absidal interpretado como templo e diferentes áreas de necrópole, na qual se recolheu um conjunto significativo de epitáfios (Encarnação, 1992). Nas primeiras décadas do século XXI, os trabalhos arqueológicos realizados neste sítio centraram-se no mausoléu alto-imperial e no edifício tipo templo, construído no século IV d. C. (Antiguidade Tardia), com afinidades arquitetónicas (planta quadrangular com cabeceira absidal) com os edifícios de Milreu e São Cucufate. Apesar do carácter fragmentado dos trabalhos arqueológicos e das publicações mais antigas deste sítio arqueológico, o conhecimento disponível permite interpretá-lo como uma villa romana de dimensões significativas, com várias fases de construção e ocupação, balizadas entre o século II e os finais do século IV / inícios do século V d. C. O território de implantação desta villa permitia combinar o desenvolvimento da atividade agrícola com a exploração de recursos marinhos e fluviais. Neste sentido, é possível que o complexo de preparados de peixe identificado nas proximidades da Ria Formosa (CNS 7061) corresponda a uma das áreas funcionais desta villa. No que se refere às áreas e estruturas funerárias, os dados disponíveis evidenciam as profundas transformações religiosas e rituais vividas na Antiguidade Tardia nas villae do Sul da Lusitânia. (actualizado por C. Costeira, 28/06/2018).

  • Meio

    Terrestre

  • Acesso

    Estrada a partir do Km 116 da EN 125.

  • Espólio

    Fragmentos de lucernas, ânforas, dollium, recipientes de terra sigillata, cerâmica comum, objetos de adorno, painéis numismáticos, fragmentos de esculturas de mármore e inscrições funerárias.

  • Depositários

    Museu Arqueológico e Lapidar Infante D. Henrique e Museu Nacional de Arqueologia

  • Classificação

    -

  • Conservação

    -

  • Processos

    S - 00583, 2002/1(043), 2004/1(753) e 80/1(109)

Bibliografia (17)

A Necrópole Romana da Quinta de Marim (Olhão). A onomástica enquanto índice sociocultural (1992)
A transformação do espaço funerário no Ocidente entre o século IV - VI. Ambiguidade e Loci Sepulturae em Espaços Rurais do Sul da Lusitânia: o caso dos templos.. A arqueologia da Transição: entre o Mundo Romano e a Idade Média (2017)
Arqueologia Romana do Algarve (1972)
As necrópoles romanas do Algarve - acerca dos espaços da morte no extremo Sul da Lusitânia (2014)
Carta Arqueológica de Portugal: concelhos de Faro, Olhão, Tavira, Vila Real de Santo António, Castro Marim, Alcoutim (1995)
Elementos para o estudo comparativo de alguns objectos recolhidos no Castro de S. Miguel. O Arqueólogo Português (1895)
Escultura romana em Portugal: uma arte do quotidiano (2007)
Estabelecimento de producção de salga da Época Romana na Quinta do Marim (Olhão). Resultados preliminares das escavações de 1988-89.. Setúbal Arqueológica (1992)
Inscrições romanas do Conventus Pacensis: subsídios para o estudo da romanização (1984)
Las termas y balnea romanos de Lusitania (2004)
Levantamento Arqueológico-Bibliográfico do Algarve (1988)
O azeite da Bética na Lusitânia. Conimbriga (1995)
O sítio da Quinta do Marim (Olhão) na época tardo-romana e o problema de localização da Statio Sacra. Revista Portuguesa de Arqueologia - vol. 10 (2007)
Quinta do Marim (Algarve / Portugal) no quadro da cristianização do Ocidente. VI Encuentro de Arqueología del Suroeste Peninsular (2013)
The site of Quinta de Marim (Olhão): results and perspectives of investigation.. Xelb, 8 (2008)
The so-called tlemples at Milreu (Estói/Algarve), São Cucufate (Vila de Frades/Alentejo) and Quinta de Marim (Olhão/Algarve): a new interpretation of their function, based on actual excavations and iconographic studies. Xelb, 5 (2005)
Two Roman mausoleums at Quinta de Marim (Olhão): preliminary results of the excavations in2002 and 2003. Revista Portuguesa de Arqueologia (2005)

Fotografias (0)

Localização