Herdade do Pinheiro

Sítio (43)
  • Tipo

    Forno

  • Distrito/Concelho/Freguesia

    Setúbal/Alcácer do Sal/Alcácer do Sal (Santa Maria do Castelo e Santiago) e Santa Susana

  • Período

    Romano, Romano, Alto Império e Romano, Baixo Império

  • Descrição

    Conjunto de cinco fornos. Dois deles são contíguos, muito bem construídos com adobes e tijolos cerâmicos e apresentando uma fachada de pedra. A maior parte dos arcos ainda se conserva, bem como alguns vestígios da grelha, constituindo até à data os fornos romanos melhor preservados de Portugal. Este centro de fabrico funcionou do século I ao século V, tendo fabricado os seguintes tipos de ânfora: Dressel 14b (século I - século II), Almagro 51c antiga (século III), Almagro 51c tardia, Almagro 51 a/b e, pelo menos, mais uma forma que não consta das tipologias conhecidas. Para além das ânforas o centro produziu telha, tijolo e cerâmicas comuns. CNANS nº 5285, sítio relacionável com actividade portuária: escoamento por via fluvial.

  • Meio

    Terrestre

  • Acesso

    -

  • Espólio

    -

  • Depositários

    Museu Nacional de Arqueologia

  • Classificação

    Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

  • Conservação

    -

  • Processos

    S - 00043, 88/1(007) e JN10/1(041)

Bibliografia (6)

A indústria romana de transformação e conserva de peixe, em Olisipo. Núcleo arqueológico da Rua dos Correeiros (2001)
Caracterização química das produções de ânforas do Sado: 1. Oficina do Pinheiro. Actas do 3º Congresso de Arqueologia Peninsular. Contributos das ciências e das tecnologias para a arqueologia da Península Ibérica.Vila Real 1999 (2000)
Descoberta de fornos lusitano-romanos na região da Marateca (Setúbal). O Arqueólogo Português (1971)
Exploração Arqueológica do Sado. Al-Madan (1997)
Na Arrábida, do Neolítico Antigo ao Bronze Final. Actas do Encontro sobre Arqueologia da Arrábida (2000)
Sítios arqueológicos visitáveis em Portugal. Al-madan (2001)

Fotografias (0)

Localização