Castelo Velho de Safara

Sítio (12841)
  • Tipo

    Povoado Fortificado

  • Distrito/Concelho/Freguesia

    Beja/Moura/Safara e Santo Aleixo da Restauração

  • Período

    Calcolítico, Idade do Ferro - 2º e Romano, República

  • Descrição

    Povoado também designado por Aldeia Velha. Situado num esporão rochoso, na confluência da ribeira de Safara com o Ardila. Foi ocupado durante a 2ª Idade do Ferro, originando um dos maiores povoados fortificados desta época no Alentejo. Possui muralhas, ainda bem preservadas e visíveis no local. Estão identificadas três fases de ocupação deste sítio: uma durante o Calcolítico; outra, mais longa, da 2ª Idade do Ferro, extensível até ao século I, já em período romano republicano. A escavação (a primeira realizada neste sítio) de 2018 comprovou estes momentos ocupacionais, embora tenha atingido apenas os níveis mais superficiais, continuando a registar-se um hiato de ocupação do sítio durante a Idade do Bronze e Idade do Ferro inicial. O sítio terá sido abandonado definitivamente na segunda metade do século I a.C., havendo apenas alguns achados ocasionais que apontam para passagens esporádicas nos períodos Medieval Cristão e Moderno. Para além da muralha, foi identificada uma rua a ela paralela e diversos pequenos compartimentos que poderão estar associados a esta ocupação romano-republicana.

  • Meio

    Terrestre

  • Acesso

    Pela estrada que liga Safara à Amareleja voltando à direita ao fim de 1 Km pelo caminho que vai para o Monte do Cabeço do Pião e que segue para NE em direcção ao rio Ardila.

  • Espólio

    Pratos de bordo espessado interna e externamente (almendrado), um fragmento de campaniforme pontilhado a matriz, um fragmento de cadinho, um nódulo de minério de forma grosseiramente esférica, escórias, cerâmicas estampilhadas da Idade do Ferro (impressas com matrizes em palmeta, em dupla espiral, e bitriangulares). Em 2018 recolheram-se: 4 fragmentos cerâmicos calcolíticos; da Idade do Ferro, escassos fragmentos de cerâmica ática, cinco fragmentos de potes estampilhados e vários fragmentos de cêramica pintada; da época romana republicana Sigillata Itálica, Campaniense e suas imitações em cerâmica cinzenta e comum, Paredes Finas, cerâmica Kuass, cerâmica decorada com pequenas estampilhas, cerâmica decorada com roleta, diversos bordos e asas de ânforas Haltern 70 e Ovóides, um Asse de Salácia de 45 a.C., um fragmento de Semis de Irippo de 30 a.C. e um Quinário de prata de Caius Fundanius, de 101 a.C.; de Época Medieval um ceitil e do Período Moderno um vintém de D. Manuel I.

  • Depositários

    António Manuel Monge Soares e Extensão de Castro Verde, Instituto Português de Arqueologia

  • Classificação

    -

  • Conservação

    Mau

  • Processos

    -

Bibliografia (17)

O Cabeço Redondo. Um edifício da Idade do Ferro Pós-Orientalizante na Herdade do Metum (Moura) (2012)
A cerâmica cinzenta do Castelo Velho de Safara (Moura): Estágio Práctico e Relatório Final (2001)
A cerâmica grafitada e o seu contexto, entre a margem esquerda do Guadiana e a Serra de Aracena. Onoba. Revista de Arqueología y Antigüedad (2017)
Castelo Velho de Safara: vestígios da prática da metalurgia. Arqueologia (1985)
Cerâmicas estampilhadas da I Idade do Ferro do Sul de Portugal - I - Cabeço de Vaiamonte (Monforte). O Arqueólogo Português (1977)
De Ulisses a Viriato O primeiro milénio a.C. (1996)
Elementos históricos e arqueológicos do concelho de Moura (1981)
Ficha de Inventário. http://www.matriznet.dgpc.pt/
Figuras de bronze antigas do Museu Etnológico Português. O Arqueólogo Português (1924)
Monografia arqueológica do concelho de Moura (1988)
O Castelo Velho de Safara (Moura): Elementos para o seu estudo (2010)
O Castelo Velho de Safara - Notícia preliminar. Vipasca (2001)
O concelho de Moura na proto-história. Moura na época romana (1990)
Um novo vestígio da prática da metalurgia no Castelo Velho de Safara (Moura). Revista Portuguesa de Arqueologia (2005)
Vestígios da prática da metalurgia. Arqueologia (1985)
Vestígios da prática de metalurgia em povoados calcolíticos da Bacia do Guadiana, entre o Ardila e o Chança. Arqueologia en el Entorno del Bajo Guadiana. Actas del Encuentro Internacional de Arqueologia del Suroeste (1994)
Vestígios metalúrgicos em contextos do Calcolítico e da Idade do Bronze no Sul de Portugal. Miscellanea em Homenagem ao Professor Bairrão Oleiro (1996)

Fotografias (0)

Localização